O debate das Flores

Ocritério escolhido pela RTP-Açores para ordenar os debates das eleições regionais, cumprindo a tradição, ou seja, começando pelas ilhas mais pequenas e terminando com as maiores, peca, por isso, por falta de inovação.

Talvez não fosse má ideia romper com este clichê e adotar um critério novo. Por exemplo: sequenciar os debates conforme um tema principal escolhido para cada ilha e ordenar esses assuntos consoante a importância, atualidade, demora na sua resolução, etc.

É claro que que não é fácil, pois a contestação certamente surgiria, mas quem anda no jornalismo sabe que essa coisa de agradar a todos é impossível e, por mim, acho mais proveitoso tentar, com audácia, fazer algo de novo do que não bulir com hábitos.

Digo isto porque os debates do Corvo e das Flores mostraram que as preocupações ali existentes são de grande atualidade, de resolução premente e, até, nalguns casos, comuns a outras parcelas do arquipélago.

Então, por que é que há-de o pequeno Corvo ser sempre o primeiro nos debates e, tendencialmente, o último na atenção que se lhe possa dar?

Prosseguindo a análise que iniciei com o primeiro debate, aqui vai a minha opinião sobre o segundo e ao contrário do que aconteceu com o Corvo, desta feita, é-me fácil elaborar uma classificação de desempenho, ao ponto de me achar habilitado a escolher o posicionamento de cada candidato.

Sem contar com as candidatas Lúcia Silva, PAN e Luísa Corvelo, CDU, que não compareceram, os restantes protagonistas tiveram intervenções que marcaram fortemente a sua presença.

Cognominaria, em relação ao debate, os cabeças-de-lista da seguinte forma: Bruno Belo, PSD, “O Preparado”; Fábio Alves, CDS, “O Organizado”; Gustavo Alves, PPM, “O Destemido”; Isabel Tenente, BE, “A Tímida” e José Gabriel Eduardo, PS, “O Apagado”.

Retendo os epítetos é simples chegar à tal classificação quanto à maneira como se houveram perante as câmaras de televisão e, curiosamente, a escolha da ordem alfabética, para apresentar os nomes, com ela coincide.

Deputado em exercício de funções, de verbo fácil, não escorreito porém, Bruno Belo conseguiu uma goleada, principalmente perante o que se supõe ter sido o alvo previamente escolhido, isto é, o candidato do PS. Argumentou bem e indicou caminhos. Sabe-se, todavia, que o círculo eleitoral das Flores é uma caixinha de surpresas e por isso pode não ter sido a estratégia mais indicada afunilar os ataques.

“O Organizado” terá ido buscar ajuda à sua formação como treinador de futebol e mostrou uma boa arrumação de ideias, procurando tocar num leque largo de preocupações dos florentinos.

Por seu turno, Gustavo Alves, foi o mais autêntico. Voluntarioso, assumiu com humildade o seu nervosismo (não exclusivo) e deu nota de determinação nas propostas que apresentou.

À candidata “bloquista” faltou desenvoltura, prejudicando-se, por isso, na apresentação do que teria para dizer.

Presidente do Conselho de Ilha das Flores, antigo deputado, autarca e professor, José Gabriel Eduardo foi a deceção da noite. Agarrou-se à inócua promessa de dar o melhor de si. Nem o incómodo de ter que defender o Governo perante uma população que, manifestamente, anseia pela resolução de questões que afetam gravemente a sua vida, serve de desculpa para uma performance medíocre.

O moderador, mais talhado para grandes reportagens, precisa rever a sua postura. Não é aceitável que, logo no início do debate, não esteja seguro de si, que tropece.

No Corvo faltou a candidata do Bloco de Esquerda e nas Flores a do PAN e a da CDU. Fragilidades na credibilidade que apregoam e que em nada favorecem partidos que se queixam de ficar para trás na atenção da comunicação social. |X|

2 opiniões sobre “O debate das Flores”

  1. Penso que no seu texto de opinião incorreu num pequeno erro, no parágrafo “Por seu turno, Fábio Alves, foi o mais autêntico. Voluntarioso, assumiu com humildade o seu nervosismo (não exclusivo) e deu nota de determinação nas propostas que apresentou.”, creio que pretendia escrever Gustavo Alves, uma vez que Fábio Alves ja havia sido mencionado acima. Cumprimentos.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s