COVID-19. Infecção com variante do novo coronavírus na ilha do Faial foi importada de Inglaterra

Causou algum impacto a notícia avançada ontem no Telejornal da RTP-Açores segundo a qual foi detetada no Faial uma variante do novo coronavírus. A informação só agora foi conhecida, apesar da colheita e respetiva análise terem ocorrido há cerca de duas semanas.

© Shutterstock | Existem vários casos nos Açores relacionados com o Reino Unido, mas não se confirmaram mais infecções pela variante do novo coronavírus ali detetada

Interrogado sobre a razão da demora na divulgação desta situação, o assessor de imprensa do secretário regional da Saúde e Desporto disse a Escrevi.blog que apenas ontem é que os dados foram veiculados pelo Instituto Ricardo Jorge (IRJ), no seu relatório semanal, do qual deu conhecimento às autoridades regionais.

Victor Alves adiantou que as colheitas são enviadas ao IRJ, para confirmação, quando dizem respeito a pessoas que testam positivo e tenham ligação ao Reino Unido.

Neste caso, trata-se de uma jovem que viajou de Londres para o Faial e infectou os pais, cuja situação epidemiológica e sanitária tem vindo a fazer parte do comunicado diário da Autoridade de Saúde Regional (ASR) que refere, presentemente, dois casos positivos ativos na freguesia da Praia do Almoxarife.

Os pais da jovem encontram-se em isolamento profiláctico, ele “ainda infectado” e ela “já só com sintomas”. A filha regressou a Inglaterra visto que, entretanto, ficou curada, depois de estar “praticamente sempre assintomática”, explicou Victor Alves.

Existem mais casos nos Açores relacionados com o Reino Unido, no entanto, até hoje, não se confirmou mais nenhuma infecção pela variante do novo coronavírus com origem naquele país. |X|

SOUTO GONÇALVES [texto]

Sismos. Atividade mantém-se ao largo da ilha do Faial

Desde a meia-noite e até ao momento (13h38) o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) registou sete sismos a oeste do Faial no âmbito da crise sísmica iniciada anteontem. Estes sismos tiveram todos magnitude inferior a 3 graus da escala de Richter e situaram-se a cerca de 60 km da ponta dos Capelinhos. Ontem, na mesma zona, ocorreram 17 sismos, dos quais sete ultrapassaram o grau 3. Já foram registados 63 sismos depois das 11h47 de segunda-feira, dia 11. |X|

SOUTO GONÇALVES [texto]