Saúde. Clélio Meneses estará amanhã no Faial

Hospital, centro de saúde e laboratório da COVID-19 no programa da visita

Teresa Ribeiro apontada à administração do Hospital da Horta. João Morais disponível para continuar

Souto Gonçalves texto


O Hospital da Horta é uma das três principais unidades de saúde dos Açores fotografia do Tribuna das Ilhas

O secretário regional da Saúde e Desporto ainda não decidiu o que é que vai fazer em relação à recondução ou substituição dos presidentes dos Conselhos de Administração do Hospital da Horta (HH) e da Unidade de Saúde da Ilha do Faial (USIF).

“Em breve” foi a resposta obtida por ESCREVI.BLOG da parte do serviço de imprensa do gabinete de Clélio Meneses, hoje, véspera da visita que fará ao HH, USIF e Laboratório de Biologia Molecular do Faial (LBMF).

O titular do sector da saúde do Governo Regional dos Açores encontra-se amanhã às 9 horas com o Conselho de Administração do HH para manter a primeira conversa com o respetivo presidente, João Morais.

“Estou nomeado para três anos, encontro-me no fim do primeiro ano. Se aceitei ser nomeado para três anos é porque aceitei continuar a trabalhar o tempo que, à partida, me pediram para eu me comprometer”, disse João Morais a ESCREVI.BLOG, interrogado sobre a sua “predisposição” para continuar no cargo.

O presidente do órgão executivo do HH esclareceu que não se trata de predisposição e remeteu o assunto para a tutela: “O senhor secretário é que sabe”.

LONGA CARREIRA

João Morais [na fotografia, do Tribuna das Ilhas] tem uma longa carreira de gestor. Entre as décadas de 80 e 90 do século passado assumiu funções de diretor comercial a nível nacional de uma empresa do perímetro da gigante da informática Apple; fundou e geriu empresas no Faial na mesma área das novas tecnologias e foi presidente da Hortaludus, empresa municipal da Horta.

A chamada deste gestor ao HH, não obstante a sua folha curricular, foi uma surpresa, visto que passava a abraçar os destinos de uma instituição numa área de ação com que antes não se tinha cruzado.

Presentemente está a cumprir o terceiro mandato — tomou posse em 2013 —, acumulando, assim, uma significativa experiência no campo da gestão hospitalar.

Independentemente da avaliação do seu trabalho, em especial no HH, que é uma das entidades mais representativas da ilha do Faial tendo em conta o volume da atividade ali desenvolvida, este gestor público deixa sempre uma marca distintiva por onde passa.

Comprometido, publicamente, com o Partido Socialista, a continuação, ou não, de João Morais à frente do HH, que depende de uma decisão política, tem todos os condimentos para poder ser interpretada, conforme o sentido que tomar, como uma opção que leve em linha de conta o aspeto partidário.

Além disso, nos “mentideros” locais, corre como muito provável que o governo esteja inclinado para nomear Teresa Ribeiro como presidente do conselho de admnistração do HH.

Advogada, formadora da Escola Profissional da Horta, presidente da Assembleia Municipal da Horta, considerada uma das figuras com maior potencial político dentro do PSD do Faial e dos Açores, embora se lhe aponte demasiado tacitismo, Teresa Ribeiro, sem tarimba de gestão, já prestou serviços jurídicos ao HH. É próxima de José Manuel Bolieiro.

A opção por esta jovem advogada faialense, ou pelo gestor público João Morais, será uma decisão difícil. Entre outros aspetos, o avanço da primeira poderá significar uma tentativa de apagar alguns incêndios dentro do hospital; caso contrário, equivalerá a dizer que Clélio Meneses pretende uma mão de ferro para executar o seu programa neste particular.

HELENA REIS: SIM OU NÃO?

Na presidência do Conselho de Administração da Unidade de Saúde da Ilha do Faial (Centro de Saúde da Horta) está a gestora Helena Reis [na fotografia, com direitos reservados].

Antiga vereadora da Câmara Municipal da Horta, pelo PS, tem um perfil “low profile” e um rasto de competência, tanto em funções públicas, como no âmbito empresarial onde se movimenta profissionalmente.

O Centro de Saúde da Horta, após a sua entrada em 2015 (termina o segundo mandato dentro de dois meses) mudou a face. Por exemplo, no “front office”, na Vista Alegre, as coisas começaram a fluir extraordinariamente e no campo do atendimento ao utente este serviço de saúde ganhou reconhecimento público, sendo a primeira unidade acreditada em termos de cuidados de saúde primários a nível regional.

Interrogada por ESCREVI.BLOG, no seu estilo cuidadoso, Helena Reis respondeu que amanhã, perante Clélio Meneses, será toda ouvidos, ou seja, quer escutar o que pensa o secretário regional sobre o futuro. Reservou, portanto, para si, as suas expectativas, ou falta delas. Tal como João Morais, vai estrear-se no contacto presencial com o novo titular da pasta da saúde do governo regional. |X|

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s