COVID-19. Variante brasileira

Fotografia de Esmeralda Rosa


O facto de um indivíduo estar infectado com a COVID-19 e ser oriundo de um país onde existem outras estirpes do novo coronavírus leva a que a respetiva colheita para análise seja enviada ao Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge com o objetivo de determinar a natureza da amostra.

O caso positivo ativo que presentemente ocorre na ilha do Pico tem proveniência do Brasil e, portanto, foram realizados os procedimentos de modo a que o Instituto Ricardo Jorge analise a situação.

Neste momento não é possível prever o tempo que vai demorar a avaliação do Instituto Ricardo Jorge.

A mutação constante do SARS-CoV-2 é um dado adquirido, o que significa que irá acontecer ao longo do tempo. |X|

SOUTO GONÇALVES TEXTO

PSP encerra estabelecimento

A divisão policial da Horta notificou cinco indivíduos (três no Faial e dois nas Flores) “por circularem na via pública em violação do dever geral de recolhimento entre as 20 e as 5 horas” durante a atividade operacional regular da Polícia de Segurança Pública (PSP) entre a passada sexta-feira e ontem.

Na Madalena do Pico, no mesmo período, a esquadra local da PSP “procedeu à notificação de encerramento de um estabelecimento de restauração e bebidas que se encontrava a laborar para além do horário imposto” pela lei. A ordem policial foi acatada.

As esquadra da Horta e de trânsito fiscalizaram, também de sexta-feira a domingo passados, 19 veículos, efetuando o controlo da alcoolemia. Por sua vez a esquadra da Madalena monitorizou 212 veículos e detetou 12 infrações por circulação em excesso de velocidade. Numa ação conjunta as esquadras de São Roque e Lajes do Pico fiscalizaram 39 veículos, incluindo a submissão dos seus condutores ao controlo da alcoolemia, observando duas infrações.

21 ACIDENTES EM TRÊS DIAS NOS AÇORES

De 12 a 14 de fevereiro, nas estradas dos Açores, ocorreram 21 acidentes de viação, dos quais resultaram sete feridos (dois graves e cinco ligeiros).

O maior número de acidentes aconteceu em São Miguel, com um ferido grave. Na ilha Terceira deram-se seis acidentes (um ferido grave e quatro ligeiros). No Faial e Pico, com dois acidentes cada, não se registaram feridos. São Jorge teve um acidente com um ferido ligeiro e na Graciosa houve um acidente sem feridos. |X|

SOUTO GONÇALVES TEXTO

FAIAL DESENHADO # 3

Fotografia de Rui Bettencourt


Inaugurado recentemente, meses depois de já ter sido aberto para usufruto dos faialenses, o Largo do Infante, sala de visitas da Horta, não tem escapado às polémicas depois de duas sucessivas remodelações relativamente recentes.

A última delas, sobre que recaíram muitas interrogações enquanto decorria, apesar de não ter obtido unanimidade da crítica, foi, de um modo geral, uma surpresa agradável.

No meio dos comentários, agora muito ampliados pelo Facebook, pois antes era nas esquinas que aconteciam, o busto do Infante que dá o nome ao “largo”, não escapou às espreciações.

Ficou melhor ou ficou pior, após as alterações feitas, esta evocação do impulsionador dos Descobrimentos portugueses? Igual é que não está!

SOUTO GONÇALVES TEXTO

FAIAL DESENHADO: Atento à sensibilidade artística revelada por Rui Bettencourt, ESCREVI.BLOG propôs-lhe a publicação de alguns dos seus trabalhos fotográficos, em que capta uma multiplicidade de aspectos, nomeadamente paisagísticos e arquitetónicos, da cidade da Horta e lhes dá um tratamento gráfico a sugerir o desenho a preto e branco.

COVID-19. Só dois casos

Fotografia de Esmeralda Rosa


Hoje o número um prevalece nas informações sobre o coronavírus: o Faial mantém um caso ativo, portanto, não se registou nesta ilha nenhuma nova infecção, o que acontece pelo oitavo dia consecutivo e nas ilhas de São Miguel e Terceira apenas foi detetado um caso em cada uma delas nas últimas 24 horas.

No concelho da Horta a cadeia de transmissão já ontem não existia.

Presentemente estão ativos 101 casos positivos nos Açores, dos quais 87 em São Miguel, nove na Terceira, três em São Jorge, um no Faial e um no Pico.

3.785 é o número de casos diagnosticados no arquipélago desde o início da pandemia. Entretanto morreram 29 pessoas vítimas da COVID-19 e 3551 estã recuperadas. |X|

SOUTO GONÇALVES TEXTO

Bom e mau tempo no horizonte

Uma visita do bom tempo é sempre bem-vinda fotografia (arquivo) de José Manuel Garcia: encosta norte da Caldeira do Faial e matos dos Cedros — Ribeira Funda


SOUTO GONÇALVES TEXTO

Nos próximos dias a atmosfera vai apresentar-se como um menu, em que se poderia escolher entre céu descoberto, nuvens, chuva, vento e até trovoada

“Uma vasta região de altas pressões (anticiclone), localizada a sul do arquipélago, condicionará favoravelmente o estado do tempo em todas as ilhas até à próxima quarta-feira”, previu na manhã de hoje no Facebook Martins Goulart.

Da sua habitual pesquisa nos “sites” de meteorologia Martins Goulart conclui que o céu se apresentará “nublado, com boas abertas”, o vento soprará “bonançoso de oeste, rodando para sudoeste” e cairão “aguaceiros ocasionais de fraca intensidade e duração”.

A partir de quinta-feira ocorrerá “um novo agravamento das condições meteorológicas, em resultado da aproximação e passagem de uma superfície frontal fria, com actividade moderada, associada a uma depressão cavada que, nessa altura, estará localizada a norte do arquipélago, na latitude das ilhas britânicas”, adianta este cibernauta, cuja antevisão do estado do tempo se tem apresentado com um reconhecido grau de fiabilidade.

“A intensidade do vento, de Sudoeste, crescerá, devendo soprar muito fresco, com rajadas que poderão atingir os 75 km/h, acompanhado de precipitação, por vezes intensa”, lê-se no texto publicado.

“A curta borrasca — acrescenta — atingirá o seu pico na sexta-feira por volta do final da manhã, com vento muito fresco/forte de Oeste (rajada máxima da ordem dos 90-100 km/h), chuva durante todo o dia, possibilidade de trovoadas e uma descida da temperatura atmosférica (sensação térmica entre os 3º C e os 5º C).”

À entrada do fim de semana, no sábado, “o quadro previsional será semelhante ao da véspera, com vento de Noroeste, mais brando e menos precipitação”.

No Domingo, “o vento de Oés-sudoste/Sudoeste será bonançoso e, embora o céu se deva apresentar muito nublado, a prevista ausência de precipitação e de um aumento da temperatura do ar permitirão uma folga para se poder andar na rua sem guarda chuva, mas respeitando sempre as normas cautelares impostas pela pandemia”, conclui José António Martins Goulart. |X|