Fayal Sport reduzido a sete

Treino no princípio da época: nem todos os jogadores conseguem deslocar-se para participarem nos encontros fora da ilha fotografia: direitos reservados


O Fayal Sport deslocou-se hoje a São Miguel para disputar com o GD São Roque uma partida da 9.ª jornada do Campeonato de Futebol dos Açores (CFA), que acaba de ser retomado, após interrupção por causa da pandemia.

O jogo terminou logo a seguir ao intervalo, na sequência de uma lesão do veterano capitão do Fayal Sport Marco Anselmo, que já se encontrava “tocado” após um lance na 1.ª parte.

A equipa visitante viu-se reduzida a seis elementos, o que levou o árbitro a dar por concluída a partida visto que o regulamento o impõe, sendo atribuída a vitória ao outro contendor.

A turma faialense apresentou-se antes do apito inicial somente com sete jogadores por dificuldade de deslocação para o exterior da ilha de uma boa parte do plantel, inclusivamente do treinador Horácio Goulart.

Perante um dos mais fortes conjuntos do CFA, que lidera a prova à condição (com mais um jogo do que os 2.º e 3.º classificados, Lusitânia e Angrense, que amanhã jogam entre si e têm, respetivamente, menos 1 e 2 pontos do que o 1.º classificado após o embate deste com os “verdes da Alagoa”), a turma de Horácio Goulart bateu-se com denodo, em face da enorme desvantagem numérica no que toca aos atletas que se encontravam dentro do retângulo, só sofrendo o primeiro golo aos 36 minutos.

A partida foi para o intervalo com o GD São Roque em vantagem (2-0), ampliada para 3-0 como “castigo” pela insuficiência de jogadores para terminar a disputa, após a já referida lesão do capitão verde.

A rádio Azores High, do Faial, transmitiu no Facebook, em vídeo e em direto, o encontro, tendo-se observado uma atuação da equipa do Faial muito digna, com o guardião Luís Freitas num plano de destaque, conforme referiu o narrador Roberto Serpa.

FAYAL SPORT EVITA FALTA DE COMPARÊNCIA

O presidente do Fayal Sport explicou a ESCREVI.BLOG que a indisponibilidade dos jogadores para a deslocação se relaciona com as exigências de testagem à COVID-19 e à quarentena a que se sujeita quem provém de São Miguel.

Uma vez que a equipa verde não se baseia em elementos que façam do futebol a sua profissão, torna-se difícil obter das respetivas entidades patronais a dispensa para cumprimento das restrições derivadas da pandemia, explicou Luís Carlos Rosa.

A falta de comparência ao jogo levaria o Fayal Sport a sofrer um “rombo” financeiro da ordem dos seis aos 10 mil euros, entre multas e incumprimento de contratos-programa com o governo.

Luís Carlos Rosa, que já foi jogador e treinador dos “verdes da Alagoa”, lembrou que defendeu o adiamento da prova, que na jornada de hoje e amanhã completa metade da fase única, mas os seus intentos não lograram junto da maioria dos clubes que tomam parte no CFA, nem das associações de futebol do arquipélago, nomeadamente a da Horta, que organiza a competição na presente temporada.

Com a eliminação da obrigatoriedade, a partir de terça-feira próxima, da realização de testes por quem viaja de avião de São Miguel, o presidente do Fayal Sport diz não saber, ainda, se o teste ao 6.º dia dos seus jogadores que viajem amanhã de São Miguel terá que ser efetuado. Se assim for, alerta, a testagem coincidirá com o próximo sábado, dia em que está programada uma nova deslocação da equipa faialense, desta feita para enfrentar o Lusitânia, na ilha Terceira. Os testes — interroga-se Luís Carlos Rosa — serão feitos na Horta ou em Angra do Heroísmo?

O Fayal Sport ocupa a última posição da tabela classificativa, com apenas dois empates e a dois pontos do penúltimo, o Santiago FC da ilha de São Miguel. |X|

SOUTO GONÇALVES TEXTO

FAIAL DESENHADO # 4

Fotografia de Rui Bettencourt


O Largo do Infante volta a esta rubrica, agora noutra perspetiva.

O edifício ali implantado, que tem disputado a preferência ou a rejeição de uns e outros, não passa despercebido.

O que ainda não se percebeu muito bem é o que é a Casa da Baía, que parece que funcionava nas antigas instalações do Banco de Portugal e agora ali se alojará…

Fechada a cadeado, aguardemos pelo dia em que será aberta aquela “caixa”. Até lá, podemos ver-nos ao espelho! |X|

SOUTO GONÇALVES TEXTO

FAIAL DESENHADO: Atento à sensibilidade artística revelada por Rui Bettencourt, ESCREVI.BLOG propôs-lhe a publicação de alguns dos seus trabalhos fotográficos, em que capta uma multiplicidade de aspectos, nomeadamente paisagísticos e arquitetónicos, da cidade da Horta e lhes dá um tratamento gráfico a sugerir o desenho a preto e branco.

Moitoso em 17.º nas Canárias

Dário Moitoso estreou-se na maratona da Transgrancanaria fotografia com direitos reservados


Dário Moitoso disputou hoje no arquipélago das Canárias a maratona integrada na prova denominada Transgrancanaria, em “trail running”, obtendo a 17.ª posição.

O campeão nacional da modalidade, faialense, completou os 42 km do percurso em menos de 3 horas. Cortou a meta a cerca de 20 minutos do vencedor, o espanhol Andreu Simón, também campeão do seu país e principal favorito desta corrida.

Inscreveram-se na maratona da Transgrancanaria 560 concorrentes, tendo partido 426. O evento engloba provas em diversas distâncias, a maratona é a mais emblemática.

O corredor faialense já se inscrevera duas vezes na Transgrancanaria, mas esta foi a sua primeira participação.

Em declarações ao Tribuna das Ilhas, antes de partir para a competição, Dário Moitoso lembrou que se encontra sem participar em qualquer prova há quatro meses.

“Esta prova é a primeira da época e é um primeiro teste aos métodos de treino e à condição física, e engloba a preparação para, em novembro, estar na melhor condição física para representar Portugal no Mundial da modalidade”, disse Moitoso ao semanário faialense, entrevistado pelo respetivo editor de desporto, Carlos Viveiros. |X|

SOUTO GONÇALVES TEXTO

Dois novos casos no Pico

Fotografia de Esmeralda Rosa


Depois de um dia sem novos casos positivos, que aconteceu ontem (a útima vez tinha sido a 17 de outubro), a CODIV-19 voltou a manifestar-se em 12 indivíduos, cujo resultado das respetivas análises foi divulgado antes das 11 horas da manhã de hoje pela Autoridade de Saúde Regional (ASR).

O secretário da Saúde do governo açoriano, Clélio Meneses, na sua conta do Facebook, fez ontem ao fim do dia o seguinte desabafo: “Hoje é um dia de respirar fundo”. Há menos de uma hora, voltou àquela rede social para dizer que “ontem foi um dia para respirar fundo, para termos força para os dias que vêm a seguir”, assinalando que “voltaram a surgir casos positivos nos Açores”.

RECUPERAÇÕES NO PICO

Nas últimas 24 horas foram diagnosticados 12 novos casos positivos, conforme atrás referido, dos quais nove em São Miguel (oito em Rabo de Peixe, concelho da Ribeira Grande e um em São Sebastião, freguesia e concelho de Ponta Delgada), um na Terceira (Terra Chã, concelho de Angra do Heroísmo) e dois no Pico (um em São Roque e um na Madalena), relcacionados com a cadeia local de transmissão da COVID-19, segundo o comunicado da ASR.

Das 13 recuperações da doença observadas na região, duas são do Pico (uma na Madalena e outra em Santo António do concelho de São Roque).

Não há nenhum doente internado nos hospitais dos Açores por causa do novo coronavírus.

Presentemente existem 55 casos positivos ativos (um no Faial, um na Terceira, oito no Pico e 45 em São Miguel). O total de casos positivos diagnosticados desde o início da pandemia é de 3.851. Destes, ocorreram 3.662 recuperações da doença e 29 faleceram. |X|

SOUTO GONÇALVES TEXTO