MÉDICA FAIALENSE DESTACA-SE

Foram realizadas, na passada semana, no Hospital da Horta, duas cistoprostatectomias radicais via laparoscópica, o que aconteceu pela primeira vez nesta unidade de saúde e nos Açores

Soraia Rodrigues e Manuel Castanheira de Oliveira introduziram a cistoprostatectomia radical via laparoscópica nos Açores

Foi pelas mãos dos médicos urologistas Soraia Rodrigues, do Hospital da Horta e natural do Faial e Manuel Castanheira de Oliveira, do Hospital de Santo António do Porto, que este avanço aconteceu.

Segundo os cirurgiões em causa trata-se de uma operação “de elevado nível de complexidade, com um potencial de complicações alto, mas que se traduz num pós operatório mais favorável para o utente”. Por sua vez, a própria unidade de saúde onde decorreu este ato médico, realça a “colaboração que pode existir entre entidades, com a mais-valia de garantir aos utentes do Hospital da Horta melhores cuidados de saúde e aos profissionais de saúde novos conhecimento técnicos”.

O Faial está de parabéns, não apenas por ter sido no seu hospital que decorreu a iniciativa em causa, pioneira nos Açores, como também pelo facto de ter ocorrido com a participação de uma médica faialense, que exerce a sua atividade profissional, não sendo de esquecer toda a equipa envolvida num trabalho de tão grande responsabilidade.

A Dr.ª Soraia Rodrigues é filha do casal de empresários Celina e Frederico Rodrigues. |X|

CUMBRE VIEJA AFETA OS AÇORES

Até à próxima quinta-feira, dia 4 de novembro, o arquipélago dos Açores vai ser atingido por aerossóis sulfato resultantes da erupção vulcânica Cumbre Vieja, em curso nas ilhas Canárias

Imagem apresentada pelo IPMA sobre a deslocação dos aerossóis sulfato sobre os Açores

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) alertou na tarde de hoje que “de acordo com os resultados do modelo do Serviço de Monitorização Atmosférica do programa Copernicus, verifica-se uma intrusão de partículas de aerossol sulfato na região dos Açores”.

No Faial os ares continuam muito “fechados” e durante a tarde, após a dissipação de algumas nuvens, observava-se a sul da ilha um fenómeno com algumas semelhanças com o que ocorreu no fim de setembro, precisamente quando o nosso arquipélago foi afetado pelo fenómeno dos aerossóis sulfato oriundos do vulcão Cumbre Vieja, em erupção nas Canárias.

O que se verifica é uma espécie de neblina num tom macerado, não tão intensa como a bruma habitual das ilhas, que reduz a visibilidade à distância.

Os aerossóis sulfato resultam “da reação em fase líquida do dióxido de enxofre com a água, constituindo pequenas partículas líquidas, que servem de núcleos de condensação e podem ser transportadas pelo vento”, explica o IPMA no seu sítio da Internet. “Essas partículas – especifica – possuem também propriedades óticas que contribuem para uma maior dispersão da luz e, consequentemente, provocam uma redução da visibilidade”.

O IPMA diz que “com a região a ser afetada pela passagem de uma superfície frontal com ondulações e a previsão de ocorrência de precipitação, a atual massa de ar deverá ser substituída ao mesmo tempo que a remoção húmida do aerossol se verifica”, apontando para que a situação esteja resolvida a partir da madrugada de quinta-feira.

TEMPESTADE TROPICAL

Enquanto isto, está a evoluir no Atlântico Norte, a oeste dos Açores, a tempestade tropical Wanda, cuja possibilidade de afetar, diretamente, estas ilhas é baixa, se bem que a respetiva trajetória seja caracterizada, pelo Centro de Prevenção e Vigilância Meteorológica dos Açores do IPMA, por uma elevada incerteza.

Às 9 horas desta terça-feira a Wanda encontrava-se a uma distância de 1.285 quilómetros da região açoriana. Os ventos atingiam 110 km/h.

O IPMA avisa que, nos próximos dias, permanecerão “as condições para a ocorrência de chuva forte” nos Açores, em consequência de um sistema frontal quase estacionário instalado nas proximidades das ilhas.

Na imagem a previsão da deslocação da tempestade tropical Wanda pelo National Oceanic and Atmospheric Administration (NOAA)

AEROPORTO MOVIMENTADO

Embora o tempo, nos últimos dias, não tenha estado de feição (as neblinas e a falta de vento criam um ambiente que faz lembrar os meses de maio e junho e as sensações que isso provoca com a proximidade do verão), no Aeroporto da Horta o movimento acontece com normalidade. Pelo menos é isso que se verifica visto de fora. Na manhã de hoje quatro aeronaves estavam na placa de estacionamento, todas da SATA: um Airbus A320, da Azores Airlines e três Dash (dois 400 e um 200) da SATA Air Açores. Um momento captado pela câmara de Marcos Machado e publicado no Facebook por Francisco Pimentel. |X|

[ NÃO BASTA SER POPULAR ]

“Não chega ser popular para ser um bom Presidente da República. Marcelo Rebelo de Sousa corre o risco de ser classificado como um dos piores presidentes desta era, quando formos capazes de analisar friamente o que tem feito, quando formos capazes de despir a simpatia que nos inspira e a graça que lhe achamos.” (Helena Garrido, Observador, 2021-11-02) |X|