RESUMO DA EDIÇÃO DE 28 DE JUNHO DE 2022:

— “PROJETO RUI TERRA” NA MENTE DO PSD?

— AQUÁRIO DE PORTO PIM FECHADO

— BOTE DA FETEIRA VENCE EM CASTELO BRANCO

— IATE ENCALHOU HÁ 10 ANOS

— 13.º ANIVERSÁRIO DE JOSÉ HENRIQUE SILVA E FILHOS

“Projeto Rui Terra” na mente do PSD?

Uma moção apresentada na Assembleia Municipal da Horta fala da obra «fora» do Porto da Horta «e nunca no seu interior». Será que alguém está a pensar na ideia do atual presidente da Portos dos Açores de fazer mais uma doca? A imagem em destaque mostra a configuração atual da baía.

A Assembleia Municipal da Horta reuniu-se na passada quarta-feira, dia 22 de junho, no Salão Nobre dos paços do Concelho e o assunto das obras do Porto da Horta voltou à baila através de uma moção que o Grupo Municipal do PSD apresentou e que foi aprovada, com a abstenção do PS, que tem 16 deputados municipais, dos quais 6 são presidentes de Junta de Freguesia. Votaram a favor, além do PSD (14 deputados, dos quais 7 são presidentes de Junta), o CDS (3), a CDU (1) e o PPM (1). A unanimidade poderia ter sido obtida. Não o foi, porquê? Porque o PS não se reviu na linguagem do documento. Este é um conflito permanente na Assembleia Municipal, que qualquer dos dois partidos mais representados não cuida de ultrapassar; ou seja, utilizam este tipo de iniciativa política para agredirem o respetivo adversário e dão cabo do consenso. Parece que não há remédio!

Quanto à moção em si ela propõe que a Assembleia Municipal promova uma sessão, pública, como aconteceu no mandato anterior, para ouvir o presidente do Conselho de Administração da Portos dos Açores, SA, comandante Rui Terra; o projetista, engenheiro Morim de Oliveira e os técnicos do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) que elaboraram o Relatório Preliminar dos Estudos da Obra Marítima do Porto da Horta.

Esta “obra de Santa Engrácia”, em que se transformou a 2.ª fase do reordenamento do Porto da Horta (a 1.ª fase foi a construção do Terminal Marítimo e o cais a norte, que a ironia popular classifica depreciativamente como “Portas da Ribeira”, em oposição às Portas do Mar de Ponta Delgada) e cujo prazo parece ser o “Dia de São Nunca à tarde”, continua a dar motivos aos deputados municipais para se entreterem.

Na verdade, pouco, para não dizer nada, se ficou a saber, depois da reunião da Assembleia Municipal, sobre o que irá acontecer ao Porto da Horta, visto que a moção solicita à Portos dos Açores, precisamente, a remessa do Relatório Preliminar e do Relatório Final dos Estudos da Obra Marítima do Porto da Horta, presume-se, para tomada de conhecimento.

É certo que não é a este órgão autárquico que compete resolver o assunto, antes contribuir, com os mecanismos à sua disposição, para que se solucionem as questões, nomeadamente através da pressão política. Porém, não deixa de ser cansativo todo o arrastar do processo, em que as palavras suplantam os atos, mesmo perante gritantes e flagrantes, ainda que indiretos, apelos à necessidade urgente de resolver as coisas, como seja, por exemplo, a baía da Horta transbordante de iates, tal qual se viu nas últimas semanas.

A moção em causa levanta, de qualquer modo, um pouco do véu desta problemática. Da sua leitura, que o jornal Incentivo fez na sua edição de 27 de junho passado, conclui-se que os deputados municipais sociais-democratas, mesmo sem disporem do documento, sabem que Relatório Preliminar dos Estudos da Obra Marítima do Porto da Horta indica que as obras anteriormente projetadas para a baía «não produz os efeitos apregoados e pelo contrário revela efeitos secundários, especialmente no cais comercial, em consequência da redução da zona alagada, algo que já se sabia ser desaconselhado em bacias de reduzidas dimensões como a nossa». Será por este motivo que o PSD defende, na moção aprovada, uma intervenção «fora do porto e nunca no seu interior».

Vistas as coisas pela perspetiva de um leigo na matéria, que é o caso do inQuieto, temos aqui pano para mangas. O cais norte do nosso porto é pequeno porque o celebérrimo secretário regional da Economia Duarte Ponte disse “ou isto, ou nada”. Agora, quem é que acredita que o nada se vai transformar numa terceira doca ou quebra-mar por fora dos dois cais que já temos?

Ao dizer que se deve fazer alguma coisa «fora do porto e nunca no seu interior» o PSD do Faial estará a propor um projeto parecido com o que o atual presidente da Portos dos Açores, ainda antes de sê-lo, apresentou enquanto cidadão faialense? [na fotografia, do Tribuna das Ilhas]

O aquário de Porto Pim está fechado há 1.000 dias!

O alerta foi feito numa publicação no Facebook, na noite desta terça-feira, pelo vigilante da natureza e cidadão faialense muito atento ao desenrolar da vida comunitária Dejalme Vargas. Usando a arma da ironia, Dejalme Vargas escreveu que se procura arquiteto ou engenheiro que possa ajudar a resolver o problema, lembrando que o muro ali caído tem 20 metros. Apenas, dizemos nós. Questionado pelo inQuieto, Dejalme Vargas afirmou que «o aquário está a trabalhar, só que não o abrem e não reconstroem o muro que em nada prejudica o acesso». Recorde-se que a destruição do muro foi provocada pelo furacão Lorenzo, a 2 de outubro de 2019, isto é, há 1.000 dias. |X|

DESPORTO

Bote baleeiro Senhora da Guia vence regata da freguesia de Castelo Branco

O bote baleeiro Senhora da Guia, da Junta de Freguesia da Feteira, foi o vencedor da regata de Castelo Branco, integrada nos festejos de São Pedro naquela freguesia e realizada no sábado, 25 de junho, fora da costa albicastrense, como se vê na fotografia.

Participaram oito concorrentes, classificados pela seguinte ordem:

1.ºSENHORA DA GUIAJUNTA DE FREGUESIA DA FETEIRA
2.ºSENHORA DO SOCORROJUNTA DE FREGUESIA DO SALÃO
3.ºSENHORA DAS ANGÚSTIASJUNTA DE FREGUESIA DAS ANGÚSTIAS
4.ºMARIA DA CONCEIÇÃOCLUBE NAVAL DA HORTA
5.ºCAPELINHOSJUNTA DE FREGUESIA DO CAPELO
6.ºCLAUDINACLUBE NAVAL DA HORTA
7.ºSENHORA DE FÁTIMAJUNTA DE FREGUESIA DE C. BRANCO
8.ºSÃO JOSÉJUNTA DE FREGUESIA DO CAPELO

Também se realizou, na baía da Horta, integrada, do mesmo modo, no programa festivo de Castelo Branco, uma regata com dois botes baleeiros a remo. Na disputa entre entre o Senhora Guia (Feteira) e o Senhora de Fátima (Castelo Branco) chegou primeiro a embarcação da autarquia feteirense.

Entretanto, a 18 de junho, foi inaugurada a época das regatas de botes baleeiros no Faial com a regata de Nossa Senhora das Angústias, cuja classificação foi a seguinte:

1.ºCAPELINHOSJUNTA DE FREGUESIA DO CAPELO
2.ºSENHORA DAS ANGÚSTIASJUNTA DE FREGUESIA DAS ANGÚSTIAS
3.ºMARIA DA CONCEIÇÃOCLUBE NAVAL DA HORTA
4.ºSENHORA DE FÁTIMAJUNTA DE FREGUESIA DE CASTELO BRANCO
5.ºSENHORA DO SOCORROJUNTA DE FREGUESIA DO SALÃO
6.ºSENHORA DA GUIAJUNTA DE FREGUESIA DA FETEIRA
7.ºCLAUDINACLUBE NAVAL DA HORTA
8.ºSÃO JOSÉJUNTA DE FREGUESIA DO CAPELO

O calendário das regatas de botes baleeiros para 2022 é o seguinte:

N.ºNOMEDATALOCAL
1NOSSA SENHORA DAS ANGÚSTIAS2022-05-28BAÍA DE PORTO PIM / PASTELEIRO
2CASTELO BRANCO2022-06-25COSTA DE C. BRANCO / CANAL
3NOSSA SENHORA DO SOCORRO2022-07-09PORTO DO SALÃO / CANAL
4REGATA DE SANTANA (PORTO DO COMPRIDO)2022-07-16PORTO DO COMPRIDO
5CASA DO PESSOAL DA RTP2022-08-13CANAL
6NOSSA SENHORA DE LURDES2022-08-20COSTA DA FETEIRA / CANAL
7VARADOURO2022-09-03VARADOURO
8REGATA INTERNACIONAL2022-09-09 A 11HORTA / CALHETA (PICO)
9ANIVERSÁRIO DO CLUBE NAVAL DA HORTA2022-10-01CANAL

HÁ 10 ANOS | IATE ENCALHOU À ENTRADA DE PORTO PIM

Comentou-se, na altura, que o acidente ocorreu durante “uma soneca” dos tripulantes. Certo é que o pequeno veleiro, de 12 metros de comprimento, [na fotografia, de Raul Dutra Goulart] não se fez rogado e foi para cima dos baixios à entrada da baía de Porto Pim, próximo do “torreão”, que completa o friso de casario junto à rotunda do Pasteleiro. Tudo aconteceu na noite de São João, por volta da meia-noite e teve honras de notícia no portal da Internet do Diário de Notícias. O jornal relatou que o casal de tripulantes deste “aventureiro” apresentava sinais de hipotermia quando foi auxiliado por elementos do Instituto de Socorros a Náufragos e do corpo de bombeiros faialenses. No Hospital da Horta o marinheiro e a marinheira foram mandados embora, pois o seu estado de saúde não inspirava cuidados. O jornal atribuiu às «más condições climatéricas», com «nevoeiro intenso e mar alteroso» as causas do sucedido, contrariando a versão popular do cochilo. |X|

HÁ 13 ANOS | FUNDAÇÃO DA EMPRESA JOSÉ HENRIQUE SILVA E FILHOS, LDA

A empresa José Henrique Silva e Filhos, Lda assinalou nesta terça-feira, 28 de junho de 2022, a passagem do seu 13.º aniversário. Fundada em 2009, é conhecida pelo seu grande armazém situado no lugar do Chão Frio, freguesia da Praia do Almoxarife, onde comercializa mobiliário, entre outros equipamentos. A figura tutelar desta sociedade comercial é o empresário José Henrique, cujo negócio prosperou nas muito conhecidas instalações do Caminho do Meio, naquela freguesia. José Henrique Silva e Filhos, Lda escolheu uma forma curiosa de celebrar a data festiva fazendo descontos de 13% em todos os artigos. |X|

[ texto ] |X|

EDIÇÃO NÚMERO 4 | inQuieto FAZ PARTE DO BLOG escrevi.blog. É UM JORNAL, EM VERSÃO ONLINE, COM EDIÇÕES NUMERADAS, DE UMA SÓ PÁGINA. A SUA PERIODICIDADE É VARIÁVEL. TRATA DE ASSUNTOS RELACIONADOS, PRINCIPALMENTE, COM A ILHA DO FAIAL, PODENDO ALARGAR ESTE ÂMBITO. O ANTETÍTULO À ANTIGA FAIALENSE, EXPLICADO AQUI, SINTETIZA A FORMA DE ABORDAGEM DOS TEMAS E O ESTILO DE ESCRITA ADOTADO NESTE ESPAÇO JORNALÍSTICO. |X|

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s