“FAITS DIVERS”

Fotografia de Helder Silva


Sabe-se que o período entre o outono e a primavera é propício ao aparecimento de aves exóticas no arquipélago dos Açores, que para aqui são desviadas pela intempérie nas suas longas migrações.

Os amantes da observação de aves encontram nos charcos de Pedro Miguel, na ilha do Faial, uma espécie de paraíso, onde, nesta altura, os motivos são mais do que muitos para fotografar.

Mas também não é incomum observar-se aves deste tipo noutros locais da ilha, como pastagens, por exemplo, ou à beira-mar.

Desta feita, uma garça branca, talvez por ser domingo, dia de passeio, apesar da pandemia, achou que a Praça da República, na Horta seria o local indicado para um momento de descanso.

Valeu a objetiva do professor Helder Silva, um homem da ciência, mas também fotógrafo atento ao ambiente da cidade onde mora, que a captou em toda a sua alvura, delicadeza e imponência. |X|

SOUTO GONÇALVES TEXTO

“FAITS DIVERS”

Um dos mais famosos guias de montanha dos Açores, que já escalou a maior elevação de Portugal mais de 2.500 vezes, proporcionou hoje, através do Facebook, bonitas imagens do nevão que se abateu sobre a ilha do Pico.

Acompanhado da sua cadela, bastou a Renato Goulart, que é guia-intérprete de turismo e que desenvolve a sua atividade profissional naquela ilha, subir à cota dos 1.000 metros da montanha que conhece como a palma das suas mãos, para se deparar com o espetáculo da natureza que reportou em fotografia e vídeo [em cima].

As previsões meteorológicas anunciaram dias frios e mesmo queda de granizo e neve no final da semana em curso e a realidade confirmou as suspeitas, o que levou muitos picoenses até à Casa da Montanha para a tradicional e divertida “guerra” com punhados de “algodão gelado”. |X|

SOUTO GONÇALVES TEXTO

“FAITS DIVERS” é uma rubrica de curiosidades de ESCREVI.BLOG. A expressão “faits divers” (factos diversos), segundo a “Wikipédia”, pertence ao jargão jornalístico e faz parte dos conceitos da teoria do jornalismo.

“FAITS DIVERS”

Lisa Torres, autora da imagem, surpreendeu-se ela própria com o que viu quando editou uma fotografia


Nem de propósito, em Terça-Feira de Carnaval, no ano em que as fantasias não saíram dos guarda-fatos, a turística Ponta Furada, onde começam e acabam as Angústas e a Feteira, no Faial, decidiu mascarar-se.

Lisa Torres e a sua sensibilidade fotográfica, que tem sido notada no Facebook, passeavam-se na tarde de hoje, apesar do mau tempo, por aquelas bandas.

Os “cliques” foram muitos, nas abertas em que as nuvens deixaram o sol sorrir. Captaram, porém, um velho carrancudo, boquiaberto, se calhar espantado por nunca ninguém lhe ter ligado.

Ao chegar ao seu estúdio pessoal, para editar as fotografias que lhe pareceram ser as melhores, tal como a “cara de pedra”, Lisa Torres abriu a boca: tinha descoberto, “sem querer”, conforme disse a ESCREVI.BLOG, aquilo que as imagens aqui apresentadas documentam.

Os taxistas costumam parar ali para mostrar a paisagem aos turistas: agora têm mais um motivo de interesse. |X|

SOUTO GONÇALVES TEXTO

“FAITS DIVERS” é uma rubrica de curiosidades de ESCREVI.BLOG. A expressão “faits divers” (factos diversos), segundo a “Wikipédia”, pertence ao jargão jornalístico e faz parte dos conceitos da teoria do jornalismo.

“FAITS DIVERS”

O Corvo, onde também há acidentes de viação fotografia: Descobrir Portugal


Um dia destes, num post do Facebook, surgiu a fotografia de um carro com uma amolgadela na porta da bagageira. O comentário a propósito dizia, em tom exclamativo: também acontece no Corvo.

A estória relatava que a dita viatura fora danificada por um automobilista que se pôs em fuga, o que, diga-se em abono da verdade, não deixa de ser irónico, pois nunca poderia ir muito longe.

Talvez mesmo por causa disso, entalado nas quatro paredes da mais pequena ilha de Portugal; ou porque a consciência lhe pesou; ou, eventualmente, ainda, porque, não tendo relatado o sucedido na altura certa por uma qualquer razão já se predispusera a fazê-lo, o autor do acidente acabou por identificar-se mais tarde perante o lesado.

Numa terra de gente de bem outra coisa não se esperaria.

A partir deste episódio, raro só por ser no Corvo, ESCREVI.BLOG, por curiosidade, tentou apurar quantas viaturas existem na ilha.

Como todos os habitantes por lá se conhecem, contactou-se um deles e pediu-se o favor de contar quantos veículos existem na Vila Nova do Corvo. A resposta não se fez esperar: perto de 200, incluindo automóveis, carrinhas, tratores, motas de quatro e duas rodas, viaturas de serviços oficiais, etc.

Ora isto significa, matematicamente, que cada corvino tem quase meia viatura. Num lugar em que as distâncias podem ser todas percorridas a pé e demoram pouco tempo, será caso para dizer que é quanto basta. |X|

SOUTO GONÇALVES TEXTO

“FAITS DIVERS” é uma rubrica de curiosidades de ESCREVI.BLOG. A expressão “faits divers” (factos diversos), segundo a “Wikipédia”, pertence ao jargão jornalístico e faz parte dos conceitos da teoria do jornalismo.