Faleceu Manuel Cristo da Silva

No que toca a abastecimento de água olhava para o Faial como quem olha para a palma das suas mãos

Continuar a ler →

Temperatura máxima superior a 27 graus

No passado termómetros chegaram a marcar mais de 30 graus

Continuar a ler →

Faleceu o antigo presidente do Atlético Manuel Dutra

Figura ligada ao desporto e longos anos funcionário da Segurança Social, gozava de geral simpatia na comunidade faialense

Continuar a ler →

MAIS UM ATROPELAMENTO MORTAL

Quatro dias depois da morte de um transeunte, por atropelamento, junto ao hipermercado Continente, ao início da noite de ontem, quinta-feira, a tragédia repetiu-se com o mesmo desfecho, na estrada da Espalamaca, a norte do parque da Alagoa

Por volta das 20 horas da quinta-feira, 11 de novembro, um indivíduo do sexo masculino, residente, mas não natural da ilha do Faial, com 62 anos de idade, foi atropelado mortalmente junto à antiga moradia de Mário Couto da Silva, já falecido, popularmente conhecida por “casa do Titon”, na estrada que liga o topo norte da avenida marginal ao monumento de Nossa Senhora da Conceição, na Espalamaca.

A população do Faial viveu consternada nos últimos dias por causa do primeiro atropelamento, ocorrido no domingo, situação raríssima nesta ilha, mas que ontem, inesperadamente, se repetiu.

Normalmente associado a folias, o Dia de São Martinho, neste ano de 2021, será, contudo, recordado como aziago para os faialenses, pois registaram-se no Faial quatro falecimentos.

A manhã de ontem foi abalada pela notícia inesperada quanto a morte de Mário Serpa (filho), que hoje completaria 58 anos de idade. Após doença prolongada pereceram também, a 11 de novembro de 2021, Francisco Ilídio Correia, antigo funcionário do Banco Português do Atlântico (BPA) e o advogado Mário Melo.

Funcionário do Serviço de Desporto do Faial e desportista, tendo-se destacado no voleibol, Mário do Rosário Serpa era também um ativo dirigente sindical e membro do Partido Comunista Português. Será recordado como uma figura alegre, que espalhava boa disposição nos ambientes que frequentava.

Francisco Ilídio Correia, para além da profissão de bancário, que exerceu com assinalável mérito, deixou a sua marca pessoal no Futebol Clube dos Flamengos, nomeadamente como presidente desta coletividade desportiva. Também foi, durante muito tempo, um apreciado colaborador da Salsicharia Lisbonense, à Rua Serpa Pinto.

Mário Melo, o mais antigo causídico do Faial, fez escola na barra dos tribunais, especialmente na Comarca da Horta. Foi um advogado que se notabilizou pela forma cordata como desempenhou a profissão, sendo-lhe reconhecida larga competência pelos seus pares. Desenhava muito bem, mas nunca fez alarido desse dom.

Enquanto isto, o corpo de Lurdes Teixeira de Freitas, após as exéquias fúnebres que ontem tiveram lugar na igreja de Nossa Senhora das Angústias, será cremado na ilha Terceira, após o que as cinzas voltarão ao Faial. As circunstâncias da sua morte por atropelamento provocaram uma onda de pesar por toda ilha, pois tratava-se de uma pessoa que gozava de geral simpatia, além de ser uma profissional, da área da restauração, de grande prestígio. |X|

ÁGUA PELA BARBA NO FAIAL

Os faialenses acordaram hoje ao som de chuva torrencial que, a espaços, se prolongou ao longo do dia provocando inundações e estragos

Baía do Varadouro | fotografia de César Matos

As zonas mais atingidas pelas fortes chuvadas situaram-se a sul do Faial, onde as freguesias da Feteira e Castelo Branco sofreram fortes enxurradas, tendo sido afetada uma moradia, no lugar da Lombega, o que obrigou a realojamento.

Ribeiras saíram dos leitos devido aos abundantes caudais e vários troços de estrada ficaram inundados.

Proteção civil, bombeiros, serviços governamentais e municipais estiveram no terreno tentando minimizar as consequências do mau tempo.

Já ao fim do dia alguns condutores chamaram à atenção, através das redes sociais, para uma derrocada que ocorreu na Estrada Regional entre Castelo Branco e Capelo, próximo do lugar da Ribeira do Cabo.

A estação meteorológica instalada no Aeroporto da Horta registou, pelas 17 horas, 72 mm de precipitação acumulada nas 12 horas antecedentes.

Entretanto o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) elevou para laranja, depois de ter estado em amarelo, o aviso de “precipitação forte, podendo ser acompanhada por trovoada” até ao início da manhã de amanhã. |X|

CHUVA INTENSA A COMEÇAR O DIA

De acordo com as previsões meteorológicas o Faial está a ser fustigado desde a madrugada desta segunda-feira, 8 de novembro, por fortes chuvadas

Entre as 6 e as 7 horas o valor da pluviosidade na ilha do Faial atingiu os 12 mm. A chuva tem caído a espaços com grande intensidade. As estradas, a certa altura, ficaram cobertas de água, o que dificulta a circulação rodoviária.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) tem em vigor um aviso amarelo até às 5 horas de amanhã, prevenindo contra “precipitação por vezes forte, acompanhada de trovoada” no Grupo Central do arquipélago em resultado de “uma superfície frontal fria com ondulações”.

Previsão do estado do tempo para hoje, segunda-feira, para o Grupo Central dos Açores: céu geralmente muito nublado. períodos de chuva por vezes forte; possibilidade de trovoada; vento sul moderado (20/30 km/h), tornando-se bonançoso (10/20 km/h) e rodando para sudoeste. Para amanhã: céu geralmente muito nublado, com abertas para a tarde; possibilidade de trovoada; períodos de chuva na madrugada e manhã, passando a aguaceiros; vento do quadrante leste fraco a bonançoso (05/20 km/h). |X|

TEMPESTADE WANDA EVITA OS AÇORES

Imagem extraída do Windguru às 11 horas dos Açores

A tempestade tropical Wanda vai passar a rasar o arquipélago, a noroeste, ao meio-dia de amanhã, domingo, 7 novembro, para depois começar a perder força. As ilhas mais ameaçadas serão as Flores e o Corvo, onde o vento soprará com rajadas que não deverão atingir 70 km/h, acompanhado de previsto períodos de chuva. É caso para dizer que desta vamos escapar! |X|

FALECEU O PADRE FEYTOR PINTO

Figura destacada da Igreja Católica, Vítor Feytor Pinto esteve várias vezes no Faial

Após se ter sentido mal, foi conduzido ontem ao hospital, em Lisboa, Vítor Feytor Pinto, onde veio a falecer, já nesta quarta-feira, 6 de outubro de 2021, aos 89 anos de idade.

Feytor Pinto foi uma figura destacada da Igreja Católica, tendo trabalhado na pastoral da saúde, de que foi responsável em Portugal, para além de muitas outras atividades, enquanto sacerdote, cuja agenda era preenchidíssima, ao ponto de lhe ser feita recomendação médica para reduzir as suas múltiplas tarefas, após uma intervenção cirúrgica ao coração, em 2017. Mais recentemente foi vitimado pela COVID-19, de que recuperou.

Monsenhor Feytor Pinto dirigiu a paróquia de Campo Grande, em Lisboa, notabilizando-se como orador sacro, considerado um fora de série.

Este padre passou pela Ouvidoria da Horta, na ilha do Faial, diversas vezes, em trabalho pastoral, deixando uma marca pela forma como transmitia a sua fé e, conforme atrás se disse, pelo brilhantismo da sua palavra. |X|

| Fotografia de MIGUEL SILVA (publicada no jornal i)

OBITUÁRIO. José Lucas da Silva

No passado dia 26 de março faleceu, no Hospital da Horta, aos 92 anos de idade, José Lucas da Silva [na fotografia, abaixo, com direitos reservados].

O “Dr. Lucas”, como era conhecido, foi uma figura marcante do Liceu Nacional da Horta, depois Escola Secundária da Horta e atualmente Escola Secundária Manuel de Arriaga.

Licenciou-se em geografia e lecionou longos anos esta disciplina e ainda matemática e introdução à antropologia cultural.

Frequentou os Liceus Luís de Camões e Passos Manuel, em Lisboa, onde chegou a ser docente.

Natural da freguesia das Angústias da cidade da Horta, nascido a 18 de agosto de 1928, era uma figura simpática, tendo granjeado na sociedade faialense grande popularidade.

Enquanto professor, aliava ao perfil de dedicação ao seu múnus, que a sua bata impecavelmente branca simbolizava, uma permanente predisposição para o humor. São inúmeras as estórias contadas por alunos seus, quase sempre com final hilariante.

Também entraram para o anedotário clássico faialense os episódios que protagonizou na capital portuguesa enquanto lá viveu.

A imagem de “bon vivant” a ele associada, que a franca e estrepitosa gargalhada e voz grave confirmavam em qualquer ambiente em que a sua presença notória naturalmente se impunha, evidenciava-se, por exemplo, quando, já reformado, aparecia na padaria, pela manhã, o que era logo motivo de provocação, porque havia sempre alguém que “entrava” com ele para desfrutar do seu espírito folgazão.

Manteve um permanente aspecto jovial, mesmo depois dos anos já lhe pesarem. Era um amante da columbofilia e foi um exímio jogador de “ping-pong”. |X|

|| SOUTO GONÇALVES texto