Chuva e trovoada amanhã

Uma tarde e uma madrugada de chuva anunciam-se

O Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPCBA), com base em informações do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), publicou um aviso amarelo em face da previsão de chuva “por vezes forte” no Grupo Central do arquipélago, que se poderá fazer “acompanhar de trovoada”.

O aviso entrará em vigor às 15 horas de amanhã e termina pelas 3 horas do dia seguinte.

Foi também emitido o mesmo aviso para o Grupo Oriental dos Açores. No Grupo Ocidental o alerta amarelo, o mais baixo de uma escala de três (laranja e vermelho), vigorará das 9 às 18 horas de amanhã.

Recorde-se que, quanto à precipitação, o nível amarelo corresponde à queda de chuva em quantidade equivalente a 10 a 20 mm/h.

NOVO PRESIDENTE DO SRPCBA

Enquanto isto assinala-se hoje o Dia Mundial da Proteção Civil, ocasião aproveitada pelo secretário regional da Saúde e Desporto, que tutela o SRPCBA, para um encontro com funcionários e responsáveis deste serviço.

Também hoje foi assinado o despacho de nomeação do novo presidente do SRPCBA, brigadeiro-general Eduardo Faria, da Força Aérea, que foi comandante da Base Aérea N.º 4, na ilha Terceira e da Zona Aérea dos Açores e experimentado piloto dos populares helicópteros “Puma”.

Clélio Meneses afirmou esperar que Eduardo Faria “traga uma nova dinâmica à proteção civil açoriana, que em breve vai dispor de nova orgânica, capaz de trazer mais eficácia e melhor organização ao serviço”. |X|

SOUTO GONÇALVES texto | NELSON SILVA fotografia de arquivo

Mais de mil vacinados no Faial

Clélio Meneses detalhou os números da vacinação por ilhas fotografia com direitos reservados


Até à próxima terça-feira haverá no Faial 834 pessoas com a primeira toma da vacina que previne a COVID-19 e 270 com a vacinação completa, ou seja, com a segunda inoculação. Esta informação partiu do secretário regional da Saúde e Desporto, em conferência de imprensa, hoje realizada.

Por ilhas, a distribuição da vacinação é a seguinte, de acordo com os números anunciados por Clélio Meneses:

O governante acrescentou que chegarão aos Açores na próxima terça-feira 8.300 doses da vacina da Astrazeneca, dirigidas aos profissionais de saúde do sector privado e profissionais dos sectores de segurança. A vacina da Pfizer, disse ainda, chegará em duas fases: na próxima segunda-feira (5850 doses) e até 15 de março (700 doses).

TESTES PARA VIAJAR DEIXAM DE SER OBRIGATÓRIOS

O secretário regional informou também que a partir das 00h00 do dia 2 de março deixarão de ser obrigatórios os testes à COVID-19 para quem sair de São Miguel em viagem interilhas. |X|

SOUTO GONÇALVES TEXTO

COVID-19. Nove mil açorianos a caminho da vacinação

Clélio Meneses diz que vacinas sobrantes não vão “colocar a serem vacinadas pessoas que nunca seriam” fotografia: Comunicação do Governo dos Açores/arquivo

No meio da tempestade sobre vacinas aplicadas de forma alegadamente indevida, o secretário da Saúde lembra os números da vacinação e propõe-se ser ouvido no parlamento para “garantir a maior transparência a um processo que tem que ser claro e motivador da confiança da população”

Souto Gonçalves texto

No final da terceira semana do corrente mês, ou seja, no final da próxima semana, cerca de nove mil açorianos estarão vacinados contra a COVID-19.

O número foi avançado ontem pelo secretário regional da Saúde e Desporto durante a habitual conferência de imprensa das quintas-feiras, na qual são anunciadas as decisões semanais do conselho do governo sobre a pandemia.

Nessa altura, disse Clélio Meneses, em todas as ilhas haverá pessoas com pelo menos uma inoculação da vacina.

A RTP-Açores emitiu, entretanto, uma reportagem na qual especifica os diversos passos da vacinação no arquipélago, em termos numéricos.

Até ao dia 7 de fevereiro (último domingo) já estavam vacinadas (com duas inoculações) quase seis mil pessoas, depois da chegada das primeiras vacinas, no final do ano passado, segundo a televisão regional.

Entretanto, até à passada terça-feira (dia 9) mais cerca de dois milhares de açorianos receberam a primeira toma do antídoto contra a COVID-19, acrescentou a RTP-Açores.

Na próxima semana chegarão aos Açores quase seis mil doses da vacina para abranger os indivíduos que já receberam a primeira inoculação. Além disso prosseguirá a parte restante do plano delineado vacinando mais gente, concluiu a estação pública de televisão, adiantando ainda que a primeira fase da vacinação estará terminada em abril.

Em março chegarà à região mais uma remessa deste desejado “remédio”.

LISTAS PARA AS SOBRAS DAS VACINAS

Aludindo à polémica sobre vacinações feitas, alegadamente, de forma indevida ou abusiva, o secretário regional informou que “foi determinado que as unidades de saúde, que são as entidades responsáveis pela administração das vacinas, definissem listas com pessoas para a administração das doses ditas sobrantes sempre seguindo os critérios que estão definidos no plano regional de vacinação”.

Clélio Meneses esclareceu que “as listas de sobrantes não vão inventar nada, nem vão colocar a serem vacinadas pessoas que nunca seriam”.

“Quando uma unidade de saúde prepara as vacinas para o dia em que vão ser administradas a um determinado público tem que preparar ao mesmo tempo as pessoas que se seguem”, disse Clélio Meneses, insistindo que é fundamental “precaver a situação para não existirem doses sobrantes que podem criar dúvidas”, .

O governante explicou que os grupos prioritários integram “os funcionários e utentes das estruturas residenciais para pessoas idosas, profissionais de saúde e internados de cuidados continuados, profissionais e utentes de lares residenciais e centros de atividades ocupacionais equiparados, profissionais de saúde diretamente envolvidos na prestação de cuidados a doentes, profissionais das forças armadas, forças de segurança e serviços críticos, pessoas com 50 ou mais anos com pelo menos uma das seguintes patologias: insuficiência cardíaca, doença coronária, insuficiência renal ou doença respiratória crónica sob suporte ventilatório, pessoas com 75 anos ou mais”.

O secretário regional da Saúde e Desporto anunciou que pediu para ser ouvido pela Comissão de Assuntos Sociais da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores com o propósito de “esclarecer todas as questões relacionadas com o processo de vacinação”.

Para Clélio Meneses “o clima de ruído e suspeição que alguns têm tentado criar” levou a que ele próprio tomasse a iniciativa de solicitar a audição parlamentar. O secretário da Saúde quer, assim, “garantir a maior transparência a um processo que tem que ser claro e motivador da confiança da população”, o que só poderá ser alcançado se tudo for “transparente” e “não exista qualquer dúvida que o possa prejudicar”. |X|